img-post
7 indústrias de rápido crescimento na engenharia para ficar de olho
15 de fevereiro de 2017
img-post
Primeira cidade inteligente do Brasil será inaugurada ainda este ano
22 de fevereiro de 2017
Mostrar todos posts

Wave Soldering x Curto de Solda

img-post

Quais as causas do curto de solda?

Alguns Engenheiros, Técnicos e Operadores de máquinas de Solda Onda me perguntam: Quais são os motivos que geram muitos curtos de solda no processo da Solda Onda (Wave Soldering), e imagino, talvez este seja um dos problemas de várias outras pessoas que atuam nesta área em outras empresas, por isto vou compartilhar alguns pontos que julgo importante serem observados, pois estes podem contribuir para a ocorrência destes defeitos.

“Podemos elencar uma infinidade de itens, mas vou restringir aos pontos que pela minha experiência, julgo necessário averiguar primeiro, e não são excludentes.”

  1. Tipo do Fluxo Utilizado (Imprescindível ler as recomendações do fabricante);
  2. Ângulo do Conveyor (Em conformidade com o tipo da liga do banho de solda);
  3. Contaminação Pote Solda (Composição Química do Banho de Solda);
  4. Temperatura Pote de Solda (Em conformidade com o tipo da liga do banho de solda);
  5. Ajuste Mecânico da Queda da Cascata;
  6. Ajuste da Velocidade da Bomba;
  7. Perfil Térmico (Profile);

É importante que o Fluxo esteja realizando a sua função, ou seja devemos pré-aquecer corretamente, conforme determina o seu fabricante, para que o mesmo seja “ativado”, caso esteja queimando todos os seus ativadores durante a fase do pré-aquecimento, quando chegar na solda, os pontos a serem recobertos por solda, já devera estar na fase de “re-oxidação”, contribuindo para gerar os curtos de solda.

O ângulo do conveyor tem relação direta com a liga de solda, ou seja Sn/Pb (6º nominal), ou Lead free (4º nominal).

A análise do Banho de Solda deve ser realizada periodicamente, de acordo com a frequência de o uso do equipamento, de forma a garantir que a composição química da liga de solda não tenha contaminação acima do permitido, o fabricante da verga de solda pode realizar esta análise e fornecer um laudo técnico.

Temperatura do Pote de Solda, é um dos primeiros fatores que nos chama a atenção. Caso a temperatura esteja demasiadamente abaixo da recomendada, significa que a viscosidade da solda no final da cascata da onda será elevada também.

Durante o contato da PCB com a Solda, 100% dos terminais e pistas estão em curto, significa que dependemos de alguns fatores, como a lei da gravidade, para que os curtos de desfaçam.

O ajuste mecânico do Bocal da Wave (Nozzle Wave), não pode gerar na saida uma cascata com pouca queda, assim como não pode estar com a queda em demasia.

O ajuste da velocidade da Bomba deve proporcinar uma queda suave da cascata da onda (wave). Cada equipamento tem um valor deste parâmetro, e depende da manutenção da turbina.

O perfil térmico do pré aquecimento tem que estar distribuindo a temperatura na PCB de tal forma que possa o Fluxo ser ativado com efetividade.

  Vale lembrar, os itens listados acima não são exaustivos, mas em grande parte são os primeiros que se não forem observados podem ser os causadores de muitos curtos. Portanto, ter o controle destes itens, pode significar zero defeito no indicador de DPKU.

Matéria publicada  por Sidney Santos

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/wave-soldering-x-curto-de-solda-sidney-santos

 

 

Os comentários estão fechados.